Aquela tarde no jardim da Graça
ao desviarmos os olhos da cidade
uma lava já morta apodrece no monte
e o vento magoa a nave da igreja.
Os presságios me seguem
como o guarda descansa
na sombra de uma porta
e espera sua ordem de partir
e sente estremecer no envelope
recado impaciente.

Os presságios me surgem
o mensageiro na cal se recorta
e vem de encontro à pedra
depositar a carta
sabendo de antemão
que tudo lhe negaram
e só lhe facilitam
este surdo contacto
este mediano conhecer.
É feroz a recusa
do oculto bilhete.

OS PRESSÁGIOS, Fátima Maldonado, Presença (1ª edição)
15.00 euros

15965350_706777009486392_7620172011132690081_n.jpg
Advertisements